Expressão pesquisada:


Pero Larouco


De vós, senhor, quer'eu dizer verdade      ←
e nom já sobr'[o] amor que vos hei:      ←
  senhor, bem [mor] é vossa tropidade      ←
de quantas outras eno mundo sei;      ←
5assi de fea come de maldade      ←
nom vos vence hoje senom filha d'um rei.      ←
Nom vos amo [eu] nem me perderei,      ←
u vos nom vir, por vós de soidade.      ←
  
 E s[e] eu vosco na casa sevesse      ←
10e visse vós e a vossa color,      ←
se eu o mundo em poder tevesse,      ←
nom vos faria de todos senhor,      ←
nem doutra cousa onde sabor houvesse.      ←
 E d'ũa rem seede sabedor:      ←
15que nunca foi filha d'emperador      ←
que de beldade peor estevesse.      ←
  
Todos vos dizem, senhor, com enveja,      ←
que desamades eles e mi nom.      ←
Por Deus, vos rogo que esto nom seja,      ←
20nem façades cousa tam sem razom:      ←
amade vós [o] que vos mais deseja      ←
e bem creede que eles todos som;      ←
e se vos eu quero bem de coraçom,      ←
leve-me Deus a terra u vos nom veja.      ←



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Perfeito contra-texto de uma cantiga de amor (mantendo muitas das suas expressões tópicas), retrato de uma senhora que, de superlativo, só tem a maldade e a falta de beleza.
A cantiga é, ao mesmo tempo, um ataque indireto contra a filha d´um rei aludida no v. 6, e que Lapa1 supôs poder ser uma das filhas de Afonso X (suposição que a expressão filha d´emperador, usada no v. 15, parece reforçar); no entanto, dada a provável cronologia tardia de Pero Larouco e o facto de o seu percurso parecer sobretudo português, a dar-se o caso de ser uma das filhas do Rei Sábio, teria de ser D. Beatriz, mãe de D. Dinis (o que não seria impossível, conhecidas que são as más relações que o monarca manteve com sua mãe, sobretudo nos momentos iniciais do seu reinado).

Referências

1 Lapa, Manuel Rodrigues (1970), Cantigas d´Escarnho e de Maldizer dos Cancioneiros Medievais Galego-Portugueses, 2ª Edição, Vigo, Editorial Galaxia.



Nota geral


Descrição

Escárnio e Maldizer
Mestria
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 612, V 214
(C 612)

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 612

Cancioneiro da Vaticana - V 214


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas