Lourenço, Pero Garcia Burgalês


- Quero que julguedes, Pero Garcia,
 d'antre mim e tôdolos trobadores
que de meu trobar som desdezidores:
pois que eu hei mui gram sabedoria
5de trobar e de o mui bem fazer,
se hei culpa no que me vam dizer,
 julgade-o, sem tod'a bandoria.
  
- Dom Lo[urenço], muito me cometedes,
 e em trobar muito vos ar loades;
10e dizem esses com que vós trobades
que de trobar nulha rem nom sabedes,
nem rimades nem sabedes iguar;
e pois vos assi travam em trobar,
de vos julgar, senhor, nom me coitedes.
  
15- Dom Pedro, em como vos ouç'i falar,
ou vós bem nom sabedes julgar,
ou já dos outros ofereçom havedes.
  
- Dom Lourenço, vejo i vos posfaçar;
mais quem nom rima nem sabe iguar,
20se eu juizo dou, queixar-vos-edes.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Numa das numerosas tenções que disputou, Lourenço chama à liça Pedro Garcia, apelando ao seu bom juízo face aos ataques de que é vítima por parte de outros trovadores. A resposta de Pero Garcia, escusando-se a fazer tal juízo, leva Lourenço a sugerir que ele teria recebido algum suborno.
Note-se ainda que é provável que faltem estrofes à tenção, uma vez que habitualmente elas não são tão curtas.



Nota geral


Descrição

Tenção
Mestria
Cobras singulares?
Finda (2)
(Saber mais)


Fontes manuscritas

V 1034
(C 1426)

Cancioneiro da Vaticana - V 1034


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas